/Algarve: 2019 foi “histórico” para o turismo

Algarve: 2019 foi “histórico” para o turismo

O Instituto Nacional de Estatística divulgou “dados preliminares” sobre a performance do setor turístico no Algarve em 2019, e os resultados têm vindo a ser divulgados e analisados pela comunicação social. Sob todos os aspetos, o ano foi considerado fortíssimo, quiçá o melhor de sempre.

Crescimento em todas as frentes

De acordo com o Barlavento, os dados mostram não apenas um aumento no número de hóspedes (+7,2% em relação ao ano anterior), mas também nos proveitos (com uma subida também de 7,2%) e ainda nas dormidas (+2,5%).

O Algarve superou o número absoluto de 20 milhões de dormidas (com um total de 20,95 milhões), sendo a única região do país a consegui-lo. O número de hóspedes superou os 5 milhões (chegando a 5,07 milhões) e os proveitos foram de 1,23 mil milhões de euros.

Sazonalidade em quebra

Especialmente encorajador foi a quebra na sazonalidade. Embora continue a ser – naturalmente – muito nítida a diferença entre o verão e o resto do ano, registaram-se subidas assinaláveis em meses tradicionalmente de menor procura:

– Janeiro (+8%)

–  Fevereiro (+1,2%)

– Abril (+13,6%, explicável em parte pela variância da Páscoa)

– Novembro (+7,8%)

– Dezembro (+9%)

Mercados internacionais em crescimento

Os turistas nacionais continuam a estar em minoria (cerca de 41% contra 59%), e embora o seu número tenha crescido mais que o de estrangeiros, a diversificação que se verificou é também bastante encorajadora. Diversos mercados registaram crescimento:

– Itália (+26,8%)

– Brasil (+ 26,5%)

– Estados Unidos (+19,8%)

– Reino Unido (+7,1%)

Embora os números dos mercados brasileiro e norte-americano não sejam expressivos, e sendo mercados intercontinentais (em que a deslocação irá sempre limitar a quantidade de turistas), o seu aumento deve ser visto com grande entusiasmo. O turista destes países que chega ao Algarve pertence necessariamente a um segmento de alto valor acrescentado. Dada a dimensão “continental” de cada um dos países, trata-se de uma dinâmica promissora.

Para 2020, e dado o cenário de possível recuperação que se antevê para alguns mercados concorrentes, as perspetivas não são totalmente certas. Porém, o trabalho que o Algarve tem vindo a fazer na consolidação da sua marca, na fidelização e na diversificação está claramente a dar frutos.