/Turismo algarvio continua a bater recordes

Turismo algarvio continua a bater recordes

Turismo algarvio continua a bater recordes

Um relatório do Instituto Nacional de Estatística (INE) revela que o setor do turismo do Algarve continua bastante forte e a bater recordes. Pelo terceiro ano consecutivo, a região consegue superar a marca dos 20 milhões de dormidas. A estatística é tanto mais impressionante quanto o facto de o relatório incluir apenas os meses de janeiro a novembro; dezembro, com a chegada para a Passagem de Ano, deverá fazer subir ainda mais este número.

Maior rentabilidade

De acordo com o site Postal, “o rendimento médio por quarto disponível (…) aumentou 6,4%, para 17,4 euros”. Já o “rendimento médio por quarto ocupado (…) atingiu 49,8 euros (+4,6%)”. Isto significa que os altos números de dormidas não significam necessariamente a vitória do conceito tradicional de “turismo de massas”. A pouco e pouco, a aposta no turismo “premium” e de qualidade que o Algarve tem vindo a fazer (e que se reflete também no mercado imobiliário e residencial) está a dar os seus frutos.

Combate à sazonalidade

Na mesma linha, a tradicional dependência do verão está progressivamente a esbater-se. Apesar dos números, grosso modo, refletirem um investimento do mercado nacional no “seu” algarve, os números de nacionalidades estrangeiras têm vindo a aumentar. O Postal refere que as dormidas de turistas estrangeiros aumentaram 5,9%, com destaque para mercados novos como a Itália (40,4%) e os Estados Unidos (22,1%). Também os mercados consolidados se mantiveram em tendência de crescimento; principalmente o Reino Unido, que aumentou 5,7% apesar da prolongada incerteza causada pelo processo do Brexit.

O crescimento no número de dormidas internacionais ajuda a explicar o sucesso no indicador de dormidas fora da época alta. O presidente da Região de Turismo do Algarve, João Fernandes, declarou à imprensa que houve mais “100 000 dormidas” deste género em relação ao ano passado e que a taxa de sazonalidade tem vindo a reduzir desde 2015.