/Salão de Imobiliário e Turismo Português avança na Suíça

Salão de Imobiliário e Turismo Português avança na Suíça

Tal como tínhamos noticiado no início do ano, irá realizar em setembro, pela primeira vez, o Salão do Imobiliário, Investimento e Turismo Português na Suíça (SIITPS). De acordo com o Idealista, a Câmara de Comércio da Indústria e Serviços Suíça-Portugal (CCISSP) decidiu manter o evento, apesar do cenário de pandemia, “porque acredita que este momento, se bem aproveitado, será uma alavanca para o relançamento destes setores da economia portuguesa num mercado de excelência, com elevado poder económico”.

Em comunicado, a CCISSP declara manter o seu otimismo, principalmente dado o targeting que o setor imobiliário português faz ao mercado suíço, apresentando um segmento médio-alto da sua oferta. “Os suíços continuam a investir!”, afirma a CCISSP com entusiasmo. O salão será mais um elemento a contribuir para a “retoma económica” nacional (e, porque não, internacional). Além disso, enquanto entidade com responsabilidades especiais em termos de análise de mercado, a CCISSP continua a ver que os investidores suíços estão interessados no nosso país. Talvez, até, mais do que no pré-pandemia – uma vez que Portugal demonstrou bastante resiliência ao longo de todo o processo, desde a segunda quinzena de março.

A CCISSP acrescenta que o evento só será cancelado (tendo em conta que já se encontra agendado um segundo Salão, em 2021, que se iria manter) se as autoridades suíças o exigirem, por razões de segurança.

Et aussi, em França

Já o “Salão do Imobiliário e do Turismo Português em Paris”, que a partir deste ano assume o nome de InPortugal – Salão de Imobiliário e Investimento, irá também realizar-se – mas “em formato inteiramente virtual”, segundo o Idealista. O salão vai para a sua nona edição, tendo-se já tornado uma referência na promoção do imobiliário português junto dos mercados francófonos. O formato virtual permite um alargamento das atividades, com a organização a apontar este ano também à Holanda, Grã-Bretanha e Estados Unidos.