/Portugal expõe-se na Suíça pela primeira vez

Portugal expõe-se na Suíça pela primeira vez

Portugal expõe-se na Suíça pela primeira vez

A Câmara de Comércio, Indústria e Serviços Suíça-Portugal (CCISSP) irá dinamizar, no próximo mês de setembro, o primeiro Salão de Imobiliário e Turismo Português realizado naquele país. O evento acontecerá no Centro de Congressos do PALEXPO (Palais des Expositions et des Congrès), em Genebra, um dos maiores da Suíça e onde acontecem os eventos de maior relevo naquele país. O salão estará presente no Hall 3, numa área de cerca de 3500 m2.

O início de uma tendência

De acordo com o Magazine Imobiliário, a CCISSP não pretende apenas lançar um evento extemporâneo, mas sim criar uma tendência. O salão de imobiliário e turismo de Portugal acontecerá na Suíça duas vezes por ano, estando já agendada a segunda edição para maio de 2021, a realizar na “parte alemã” da Suíça. Ainda segundo o Magazine Imobiliário, a CCISSP aponta que o evento “francófono” e o “germanófono” terão “objetivos iguais, mas alvos diferentes”, o que se compreende, dada a natureza política e culturalmente diversificada da Confederação Helvética, composta por 23 cantões.

Um mercado com potencial

Independentemente das diferenças entre Genebra e as grandes cidades de língua alemã (Berna, Zurique, Basileia, etc.), o facto é que a Suíça representa um “mercado com um poder de compra três vezes superior à média dos outros países europeus”, segundo a CCISSP. A oportunidade que o nosso país representa para “viver a aposentadoria, trabalhar, estudar ou descobrir” é, em si mesma, uma oportunidade para os setores turístico e imobiliário português descobrirem este país.

Embora não seja um membro da União Europeia, a Suíça mantém uma relação de proximidade com o bloco europeu através de um conjunto de tratados bilaterais. Estes tratados incluem o Espaço Schengen, de livre circulação, e o Mercado Único, embora com um conjunto de exceções. Com cerca de 8,5 milhões de habitantes, a Suíça é, à imagem de Hong Kong (embora por motivos e necessidades bastante diferentes), um dos mercados pequenos mas com um potencial muito interessante para o turismo e o imobiliário do Algarve e de Portugal.