/Parque de diversões a nascer no Algarve?

Parque de diversões a nascer no Algarve?

Parque de diversões a nascer no Algarve?

Um novo parque de diversões, à imagem da EuroDisney de Paris mas à escala do Algarve, poderá vir a nascer na região num futuro próximo. A notícia surgiu pela primeira vez durante a gala anual da Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa (CCIFP), que decorreu no Hotel Eva, em Faro, no final de dezembro. O presidente da CCIFP, Carlos Vinhas Pereira, ao anunciar este desiderato, acrescentou que vários associados estão ligados à área do turismo e que estarão a reunir esforços no sentido de desenvolver um projeto. O objetivo, anunciado ainda por Carlos Vinhas Pereira, é reduzir a sazonalidade turística, contribuindo para que o Algarve consiga atrair mais pessoas durante a época baixa.

Turismo do Algarve aplaude

A Associação de Turismo do Algarve (ATA), questionada pelo portal NiT e na pessoa do presidente João Fernandes, declarou que não estabeleceu ainda contacto com a CCIFP sobre esta matéria mas que a “acolhe a ideia com satisfação”. O potencial de um projeto deste género para combater a sazonalidade afigura-se como óbvio para a associação.

João Fernandes acrescenta, porém, que poderia ser uma “mais-valia” se o tema do parque estivesse relacionado com a história da região, nomeadamente com os Descobrimentos, tendo em conta o papel que o Algarve desempenhou na sua primeira fase. De acordo com os dados da ATA, o número de turistas franceses no Algarve tem subido em flecha nos últimos anos, de 650.000 dormidas/ano em 2015 para mais um de milhão em 2018.

Parques temáticos internacionais em Portugal

Esta não é a primeira vez que se fala da vinda de um parque temático internacional para Portugal, a situar fora das grandes áreas metropolitanas. Ao longo da última década, foi veiculada a intenção de um grupo empresarial britânico de construir uma estrutura do género na região Oeste, a norte de Lisboa. Contudo, a incerteza causada pelo resgate financeiro de 2011 terá contribuído para o adiar indefinido do projeto.

Todavia, desta vez parece haver uma base mais sólida, não só pelo peso político que a CCIFP está a dedicar à ideia mas também porque o Algarve, na verdade, reúne todas as condições para que o projeto possa ser um sucesso.