/Casas no litoral mediterrânico mantêm-se como objetivo ‘internacional’

Casas no litoral mediterrânico mantêm-se como objetivo ‘internacional’

Um estudo realizado pelo portal de imobiliário Idealista, com base nos seus próprios dados, revela que os investidores internacionais continuam interessados em comprar casa na Europa do Sul, nomeadamente nas zonas costeiras ou litorais. Portugal, Espanha e Itália são os alvos preferenciais.

De acordo com o portal, utilizadores baseados nos Estados Unidos, Grã-Bretanha e Alemanha foram especialmente ativos, no terceiro trimestre de 2020, na procura de residência com estas características. Apesar da distância transcontinental, os Estados Unidos são mesmo o país que envia mais “visitantes” ao portal Idealista para pesquisar com estes critérios.

O interesse americano

Ao contrário do que seria tradicionalmente de esperar, a procura americana por Portugal no Idealista suplanta a britânica. Apesar de o relatório do Idealista não o mencionar, é de crer que se esteja a verificar um certo recuo do mercado britânico, dado o clima de grande incerteza económica e até política que o país atravessa. Além dos efeitos da pandemia, há a acrescentar o arrastar das negociações com a União Europeia e o reacender dos desejos independentistas da Escócia.

Estabilização de preços

Os dados do Idealista são mais um elemento a comprovar a estabilização de preços que se tem verificado no imobiliário português, apesar da situação difícil causada pela pandemia. O portal aponta “as moratórias” dos créditos à habitação, os apoios ao emprego e as baixas taxas de juro determinadas ao nível do Banco Central Europeu como os principais fatores na base desta estabilização. Os dados do Idealista revelam ainda que o setor imobiliário melhorou face aos níveis de março, embora não tanto como os de Espanha e Itália.

Algarve: americanos, mas também franceses

O estudo do Idealista mostra ainda que nos concelhos de Faro e Lagos as visitas e pedidos de informação vêm principalmente dos Estados Unidos. Já em Albufeira é da França que surgem mais potenciais interessados.