/Aumentam dormidas de portugueses no Algarve

Aumentam dormidas de portugueses no Algarve

Aumentam dormidas de portugueses no Algarve

Este domingo,16 de dezembro, o Jornal Económico dá conta de um número potencialmente surpreendente: aumenta o número de dormidas de visitantes portugueses no Algarve, em relação a 2017. O jornal cita um relatório intitulado “Atividade Turística Outubro de 2018”, elaborado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), que aponta uma subida não só nesse mês, com relação ao mês homónimo de 2017, mas também e principalmente uma subida de 10,3% em termos de clientes portugueses.

Nos primeiros dez meses de 2018, já foi batido o número de visitantes totais chegados durante todo o ano 2017 (4,1 milhões, contra os 4 milhões de dormidas que se verificaram no ano transato).

Portugueses compensam estrangeiros

O Algarve contabilizou uma perda de 1,6% em números totais de dormidas, que se explica, à partida, pela diminuição no número de visitantes estrangeiros. Este efeito, que tem sido acompanhado pelos responsáveis e analistas do setor turístico, explica-se pela recuperação de destinos concorrentes na região mediterrânica (Tunísia, Turquia, etc.) e também pelo clima de incerteza trazido pelo Brexit, tendo em conta que o Reino Unido é ainda o principal emissor de visitantes para a região.

Constata-se, deste modo, que a quebra seria ainda mais acentuada se a região não tivesse investido na captação de visitantes portugueses. Constata-se também que o Algarve mantém todo o seu apelo tradicional, surgindo no imaginário dos portugueses como “o” destino de férias nacional, mesmo apesar daquela tradicional acrimónia (provavelmente mais verdadeira nas redes sociais do que na realidade no terreno) entre o turista nacional e a hotelaria algarvia, que alegadamente iria “preferir” o visitante estrangeiro.

Algarve é a região que mais cresce

De resto, o Algarve foi a região que mais cresceu em 2017 – outro dado a comprovar a resiliência do setor turístico, principalmente dado o “élan” que se vive em Lisboa e no Porto. De acordo com o Observador, citando igualmente dados do INE, o PIB da região cresceu 3,5% em 2017 e foi o setor turístico o grande responsável por este crescimento.