/André Jordan condecorado pela rainha Isabel II

André Jordan condecorado pela rainha Isabel II

André Jordan, o “mítico” empresário luso-brasileiro dos setores turístico e imobiliário do Algarve, foi condecorado como Oficial da Ordem do Império Britânico, uma distinção nobiliárquica atribuída pela rainha Isabel II.

De acordo com o Dinheiro Vivo, André Jordan recebe o prémio pela sua contribuição e dedicação ao Duke of Edinburgh”s International Award, ao longo dos últimos 30 anos. Criado em 1956, o prémio visa reconhecer adolescentes e jovens adultos que conseguem cumprir um conjunto de objetivos de desenvolvimento pessoal, visando ajudá-los a encontrar o seu lugar no mundo e a tornarem-se especialmente úteis e relevantes à sociedade. Jordan foi um dos apoiantes e dinamizadores do movimento, tendo, ainda de acordo com o Dinheiro Vivo, procurado fazer com que novos filantropos se juntassem à iniciativa e atuado como World Fellow.

O prémio Duke of Edinburgh está atualmente presente em 144 países, congregando milhões de jovens anualmente. Em Portugal existe o prémio Infante D. Henrique, que está oficialmente associado ao Duke of Edinburgh desde 1997.

Jordan, que lançou recentemente uma segunda edição do seu livro de memórias, foi o grande impulsionador da Quinta do Lago e do próprio conceito do Algarve como destino turístico de luxo e “high-end”, tal como se posiciona atualmente.

Fórmula 1 confirmada em Portimão

Entretanto, o Algarve recebeu uma outra “confirmação”, mais esperada. No dia 5 de março a Federação Internacional do Automóvel confirmou oficialmente que o Grande Prémio de Portugal irá acontecer novamente no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão. Acontecerá entre os dias 30 de abril e 2 de maio e será a terceira prova da temporada de 2021. Não foi confirmado se haverá presença de espectadores, embora se espere que não, dados os passos prudentes do Governo e das autoridades de saúde nesta matéria desde o final de janeiro. Porém, não deixa de ser mais um reconhecimento expressivo da capacidade de bem receber do Algarve, principalmente tendo em conta que se trata de um regresso depois da boa experiência de 2020.