/Portugal é “penta” nos Óscares do Golfe

Portugal é “penta” nos Óscares do Golfe

Portugal é “penta” nos Óscares do Golfe

Portugal venceu, pela quinta vez e em cinco edições, os World Golf Awards, que foram este ano entregues numa cerimónia realizada em Espanha. O país foi mais uma vez agraciado com o prémio de “Melhor Destino de Golfe do Mundo”, batendo os mais importantes destinos mundiais para os golfistas, nomeadamente os Estados Unidos da América, Abu Dhabi, a Argentina ou a África do Sul.

Para complementar a vitória, Portugal foi também (naturalmente) considerado Melhor Destino de Golfe da Europa, batendo a Espanha e as cinco ‘nações’ das Ilhas Britânicas, onde o desporto nasceu (Inglaterra, Escócia, Gales, Irlanda do Norte e Irlanda).

Algarve comanda a nível nacional

Na cerimónia foram entregues quatro prémios “nacionais”, tendo o Algarve conquistado três: o Melhor Campo de Golfe de Portugal (Monte Rei Golf & Country Club), o Melhor Hotel de Golfe de Portugal (Hilton Vilamoura As Cascatas Golf Resort & Spa) e o Melhor Operador Turístico de Golfe Inbound de Portugal (Portugal Algarve Golf Services, de Vilamoura).

Indiferença da comunicação social nacional

De forma estranha, este impressionante “accomplishment” recebeu pouco destaque por parte dos média nacionais. Além dos jornais da região algarvia, só o Record (um jornal desportivo!) mencionou o assunto – certamente porque quando Portugal vence uma competição, isso acaba sempre por ter alguns interesse para os leitores de jornais desportivos.

Será que estes bons resultados, facilmente mensuráveis e reconhecíveis a nível mundial, alcançados por um indústria associada a um setor que todos reconhecem como estrategicamente vital para o país – o turismo – não mereceria outro destaque?

Talvez o facto de Portugal ter vencido todas as edições esteja a criar na imprensa portuguesa a ideia de que ser o Melhor Destino de Golfe do Mundo já é banal. De que somos tão bons que semelhante notícia é corriqueira. Ou talvez seja o contrário: imbuídos da antiga sensação de inferioridade, os jornais consideram que se Portugal vence consecutivamente é porque o prémio não é assim tão relevante.

Permitam-nos discordar destas asserções. O golfe nacional e o turismo nacional estão, mais uma vez, de parabéns! Não é fácil conseguir reconhecimento quando se vai contra as ideias estabelecidas, mas o facto é que os portugueses conseguem competir, a nível mundial, com os melhores, e não é só no futebol.